Sentido de [pouco] Estado.



Dia de Camões, de Portugal e das Comunidades Portuguesas. Este 10 de Junho que nos coloca a todos numa espécie de esperança, de sonho adiado, de vidas em suspenso, sabe, pelo menos a mim, a amargo. Este ano, o palco oficial das comemorações, centra-se em Elvas, cidade Património Mundial de Elvas e conta com a presença do Presidente da República, Cavaco Silva. Como somos bons ex-colonizadores, o nosso querido presidente recebe hoje a Presidente Brasileira Dilma Rousssef, numa visita que tem como temas de agenda bilateral entre os dois países algumas privatizações como a dos CTT e da TAP. Não sabemos se o convite de Cavaco a Dilma foi cirurgicamente escolhido, ainda que saibamos que hoje termina o Ano do Brasil em Portugal e de Portugal no Brasil. Ainda assim, parece-me haver pouco sentido de estado na atitude do Presidente. O que hoje por cá temos é um abafar das comemorações do 10 de Junho. Uma data que é nossa, que devia salientar a nossa portugalidade, o que fazemos de melhor sem esquecer os nossos emigrantes que, por esse mundo fora, orgulham a Língua de Camões o melhor que sabem. Bem sabemos que soberania é coisa que já não temos, mas desvalorizar desta forma um feriado como o 10 de Junho mostra bem o nível a que chegámos. Valha-nos o Sol e o bom tempo que, pelo que temos visto, têm sido coisa de somenos para São Pedro, um santo mal amado por Gaspar, que agora resolveu disparatar dizendo que a culpa do agravamento da recessão se deve às chuvas e ao mau tempo. Que chegue o Verão e depressa porque já não se aguenta tanto pessimismo e disparate. Bom feriado a todos e até para a semana.

*Crónica semanal de 10 de Junho na Rádio Antena Livre, 89.7, Abrantes.

Comentários

Alexandre Borges disse…
Sobre a presença de Dilma no Dia de Portugal discordo da sua opinião. Ser português não pode ser o orgulhosamente sós. Furto-me a mais explicações, deixo as do Chico.
http://www.youtube.com/watch?v=HiN5AqGaSM8

Cumprimentos.