Avançar para o conteúdo principal

Legislativas 2019: "Eu, Cidadão"

Arrancou este domingo a campanha eleitoral rumo às legislativas 2019. Nas próximas duas semanas não faltarão, país fora, arruadas q.b., jantares-comício, visitas a escolas, a jardins de infância, a lares de terceira idade, a instituições de solidariedade social, e a um sem fim de espaços de norte a sul de Portugal.
Crédito: RTP3
Dita a experiência que ao longo dos próximos 15 dias muita farpa vai correr, muita notícia lançada e "soprada" para este ou aquele órgão de comunicação haverá de chegar. A estratégia nos corredores do poder partidário - e dos poderes que se cruzam - haverá sempre de ser bem moldada ao objetivo de cada partido.

No dia em que começa a "festa" a RTP3 emitiu um programa de entrevistas sobre os principais candidatos a primeiro-ministro: Jerónimo de Sousa, Rui Rio, Assunção Cristas, Catarina Martins, António Costa e André Silva. 

Um programa diferente este "Eu, Cidadão - Eleições Legislativas 2019" - de Cândida Pinto -,  e que mostrou aos portugueses a faceta mais pessoal de cada um deles, num ambiente descontraído e mais leve. 

Às vezes é possível tornar a política mais leve e foi curioso ver o outro lado de seis políticos que, no dia a dia, encarnam um papel e uma personagem bem diferentes. Um lado que o eleitorado normalmente não vê. 

Para quem quiser rever, pode aceder aqui. Talvez não ajude muito até dia 6 de outubro, até porque pese embora o perfil de cada um seja importante na hora do voto, na verdade, não é um critério decisivo na hora de colocar a cruz - ou não - no boletim de voto. 

Seja como for, estão todos na estrada e cada um à sua maneira fará a campanha possível. Um passeio para uns, uma tormenta para outros, um festival, quiçá, para os restantes. 

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Por todos os Nuno's deste país, vergo-me, com vergonha e carregada de culpa

Há uma semana, quando a minha crónica na Antena Livre estava no ar, ainda não havia noção da tragédia dos incêndios desse fim de semana.
Depois, bem, depois, todos sabemos que números nos bateram à porta.
Não vou falar do que aconteceu, nem ajuizar as atitudes políticas. Tudo isso já foi falado, escrito, debatido, de uma forma tóxica até pela sociedade portuguesa.
Quero antes dar-vos o testemunho de alguém que assistiu, in loco, à recuperação, à reconstrução, ao caminho do futuro. Porque é disso que se trata imediatamente após tamanha tragédia. Vivi-o na pele em Agosto com a minha família e assisti de novo ao reerguer de gentes que merecem tudo.
Quero falar-vos de Nuno Pereira, fundador da Lusoberry, empresa que se dedica à produção de mirtilos e inovação dos seus derivados, em Oliveira do Hospital, região terrivelmente afetada pelos incêndios de há uma semana. O Nuno e a sua família viveram este drama por dentro, com amigos e família em perigo, assistiram à tragédia naquelas duras hora…

À descoberta de Castelo Novo: a aldeia que se aconchega no abraço da Gardunha

A frase do dia

«É melhor viver como ateu do que ir à igreja e odiar os outros». Papa Francisco, citado pela Lusa.